top of page

AF Setúbal reforça iniciativa de combate à discriminação racial

Ação de sensibilização motivou relevante partilha de vivências entre protagonistas do futebol. Esta terça-feira (21 de março), assinala-se o Dia Internacional Contra a Discriminação Racial.


A Associação de Futebol de Setúbal, correspondendo ao desafio lançado pela Federação Portuguesa de Futebol e dando corpo à iniciativa da UEFA, promoveu no dia 15, no Salão Nobre do Estádio Municipal José Martins Vieira, uma ação de sensibilização no âmbito do projeto OUTRAGED Racismo, que visa contribuir para a erradicar a discriminação no desporto.

Jogadores e estrutura técnica da equipa sub-17 de futebol do CD Cova da Piedade, emblema que esteve igualmente representado pelo presidente e diretor do clube, Paulo Veiga e João Encarnação, respetivamente, e pelo coordenador técnico Henrique Silva, não hesitaram em se associarem a um momento de especial relevância em nome do combate à discriminação racial, o qual contou ainda com a participação do presidente da AF Setúbal, Francisco Cardoso, e do ex-futebolista internacional luso Yannick Djaló.




No evento, apresentado por João Valério, preletor das ações formativas da AF Setúbal, no âmbito da Integridade e Direitos Humanos, a dinâmica gerada pelas três dezenas de participantes, após a visualização de um vídeo relacionado com o documentário OUTRAGED – iniciativa da UEFA assente num projeto que visa consciencializar o mundo do futebol e envolve-lo num diálogo construtivo à volta dos temas da discriminação -, onde surgem testemunhos de futebolistas e treinadores internacionais de renome, entre os quais José Mourinho, resultou numa conversa aberta sobre a temática do racismo: a realidade, experiências vivenciadas e o papel que cada um deve assumir para que os atos e comportamentos discriminatórios sejam erradicados, quer em contexto desportivo ou social.




Todos reconheceram que o problema existe e deve ser combatido.

“Já me chamaram macaco, em pleno relvado, durante um jogo”, confessou Yannik Djaló, entre a partilha de vivências pessoais no mundo de um futebol que não deve existir. “Os adeptos levam a questão da competitividade a extremos. No campo, há equipas adversárias. Fora dos jogos, os jogadores fomentam amizade. Não existe argumentos para sermos confrontados com comportamentos racistas”. “Estas situações têm que ser denunciadas”, vincou o ex-futebolista internacional por Portugal.

“Não devemos de ter medo de enfrentar esta doença”, atirou Paulo Veiga, presidente da Direção do CD Cova da Piedade, reforçando, na sua intervenção, que “somos todos iguais”.




“O racismo é como os dinossauros, já não devia existir”, “a formação escolar e familiar é fundamental no combate a esta problemática” e “afinal, qual a importância da cor da pele das pessoas?”, como realçou o diretor do clube piedense João Encarnação, foram algumas das frases libertadas durante a importante ação de sensibilização, na qual alguns jovens futebolistas não hesitaram, por seu turno, em admitir “muito desconforto em certas situações, devido à aparência e à cor da pele”.

No âmbito das intervenções, o presidente da Direção da AF Setúbal lembrou os balneários, tidos como espaços ‘sagrados’ no futebol, “que são locais multiculturais. Aí, todos são um, e são todos iguais”, realçou Francisco Cardoso.

“Estes são problemas de todos nós. Todos, em algum momento das nossas vidas, já vivenciamos um episódio de discriminação. Temos de ser, todos nós, a contribuir decisivamente para erradicar os comportamentos ofensivos, denunciando e garantindo que, todos, denunciam”, registou Henrique Silva, o coordenador técnico do CD Cova da Piedade.




A Direção da AF Setúbal agradece a presença e o relevante envolvimento de todos quantos participaram nesta importante ação de sensibilização e ao CD Cova da Piedade pelo acolhimento institucional.

O Dia Internacional Contra a Discriminação Racial é assinalado anualmente a 21 de março.



3 visualizações0 comentário

Comentarios


bottom of page